O grande perigo da droga é que ela mata a coisa mais importante que você vai precisar na vida, que é o poder de decidir. A única coisa que você tem na vida é o seu poder de decisão. Realmente a droga é fantástica, você vai gostar. Mas cuidado. Porque você não vai decidir mais nada.

Paulo Coelho

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Gás de xisto


Ao contrário do gás natural convencional, o gás de xisto (shale gas, em inglês) está misturado à rocha. Avanços tecnológicos recentes tornaram essa forma de combustível economicamente viável. Hoje, o gás de xisto corresponde a 16% do total de gás natural consumido nos Estados Unidos e pode chegar a 46% em 2035.

A extração do gás das camadas de xisto, por definição uma formação rochosa sedimentar, começou a ser estudada pelos Estados Unidos na década de 1970, mas o processo era tão caro e complexo que inviabilizava a produção em larga escala. Só nas décadas seguintes a exploração comercial começou a se tornar realidade, com o desenvolvimento de duas tecnologias complementares.

A primeira, chamada de “perfuração horizontal”, permite acessar melhor o solo que abriga o gás de xisto. A segunda denominada “fratura hidráulica”, facilita a remoção do produto. O poço aberto na perfuração recebe uma mistura de água, areia e diversos produtos químicos sob alta pressão para quebrar a rocha e liberar o gás, que então é levado para a superfície por uma tubulação.

Os benefícios ambientais dessa forma de energia são tão positivos quanto os do gás natural convencional. A geração de eletricidade com gás produz apenas metade do dióxido de carbono liberado pelas termelétricas a carvão.

Mais de trinta países possuem reservas de gás de xisto. Poucos exploram comercialmente essa fonte de energia. A China, detentora das maiores reservas mundiais do combustível, completou em 2010 a perfuração de seu primeiro poço, na província de Sichuan. A Inglaterra também já concluiu a construção de algumas estruturas de exploração. No Brasil, utiliza-se uma tecnologia antiga para extrair óleo de xisto no Paraná, em pequena escala. As reservas brasileiras são volumosas e integram o plano de longo prazo definido pela Empresa de Pesquisa Energética, do Ministério de Minas e Energia.

O grande problema do processo de extração do gás de xisto é a utilização de componentes químicos potencialmente tóxicos, como o benzeno. Se essa substância atingir o lençol freático, pode contaminar a água.

Fonte: Revista Veja, edição de 21 de dezembro de 2011, página 108.

15 comentários:

  1. É mais uma forma de energia produzida pelo solo, sera mais uma alternativa viável ou seja vantajosa para o futuro ,existem cerca de 180 trilhões de metros cúbicos no mundo de gás convencional e não convencionais cerca de 60 a 250% desse valor, as vantagem são unumeras ele é o mais limpo dos combustíveis fosseis, cerca d 30% mais eficiente que o carvão 30% mais limpo que o carvão ,quando queimado ele é menos ou seja ele produz menos dióxido de carbono cerca de 40%menos que uma usina termelétrica d carvão, outra vantagem é que cerca de trinta países tem esse recurso de produção de energia também gera muitos empregos nesse empreendimento.
    É um recurço enérgetico gasoso de forma muito dessiminado que se encontra
    Em rochas muito profundas é um recurso hidrico , mais com muitos riscos ,só que tem algumas desvantagens, se levarmos em conta as experiensias americana, é uma energia fóssil que significa ,produz muito dióxido de carbono que vai contribuir com o aquecimento global ao contrario das energias renováveis ,tratasse de gás metano , o gás com efeito estufa muito mais potente que o dióxido de carbono, são grandes as preocupações com as fugas de gás de xisto ,no inicio da exploração ,em excesso as implosões no subsolo pode ocasionar de contaminar os lençóis freáticos e depois no momento do desmantelamento das jazidas, e la na frente existem os riscos que se qualificam como probabilísticos ou seja o riscos de acidentes que sabemos que acabaram por acontecer é um fato estatístico ,por um certo numero de póssos perfurados , sabemos também que ocorera mas não sabemos aonde e nem quando devemos estar preparados para saber oque fazer quando isso acontecer.
    Já a indícios de terremotos e problemas de poluição após perfuração em alguns países que já tem uma quantidade regular de possos abertos(França,Irlanda,Bulgaria,Portugal).

    ResponderExcluir
  2. A exploração do gás de xisto esteve inviável por muito tempo devido às dificuldades de extraí-lo de dentro das camadas de rocha sedimentar de xisto. Mas com a descoberta de novas técnicas, alem dos EUA, pioneiros na área, muitos paises começaram a explorar esse recurso energético. Existe uma grande reserva desse gás no mundo, espalhado por vários países e, como a demanda por energia tem aumentando cada vez mais, a exploração do gás de xisto tem sido uma boa notícia. Também ele é considerado um gás limpo, pois a sua utilização agride menos o ambiente. Porem, a possibilidade de contaminação dos subsolos, solos, lençóis hídricos subterrâneos e superficiais pelo próprio gás ou pelos produtos químicos utilizados no método de fratura hidráulica e a grande quantidade de água utilizada em todo o processo tem sido o grande problema. O impacto que essa nova oportunidade de se obter energia pode causar no ambiente ainda esta sendo pesquisada. O fato é que a exploração do gás de xisto tem se alastrado pelo mundo todo, e pode atrasar a busca por fontes de energia renovável.

    Roger R. Lopes M3

    ResponderExcluir
  3. Muitos países estão aderindo a extração do gás de xisto, visto que ha uma grande reserva desse gás no mundo. Ele vem sendo utilizado para produzir eletricidade e reduzir a dependência de alguns países na produção de energia através de termelétricas a carvão.Este gás libera apenas a metade de dióxido de carbono comparado a outras formas de energias poluentes, porem ele ainda é um combustível fóssil que libera gases do efeito estufa.
    No Brasil esse gás é menosprezado pois ainda ha muito gás natural a ser explorado. A maior desvantagem deste gás é que ele pode causar muitos danos aos lençóis freáticos por causa dos produtos químicos utilizados na extração deste, mas a exploração esta também dando muitas oportunidades de emprego principalmente nos Estado Unidos, onde estão desenvolvendo estudos para uma melhor exploração e também para melhores benefícios econômicos.

    ResponderExcluir
  4. devemos procurar cada vez mais recursos para produzir energia sem poluir o meio ambiente, o gás de xisto apesar de ser uma energia fóssil, é uma energia limpa, ou seja, não produz tanta poluição quanto o carvão e o petróleo por exemplo, e esta presente em todo o mundo, um grande problema é que em sua fabricação são utilizados produtos químicos que podem contaminar o lençol freático, caso aja vasão, no Brasil o gás ainda é menosprezado, pois é um processo muito caro.
    Os benefícios desse gás e tao vantajoso quanto o gás natural, então em minha opinião devemos nos aprofundar mais nesses projetos, pois eles só nos trarão benefícios futuramente.

    ResponderExcluir
  5. Gás de xisto. O gás que talvez supere várias vezes em quantidade as reservas de gás convencionais do planeta. A descoberta que pode ajudar países como o Brasil que atualmente importa cerca da metade do gás que consome, em um pais exportador. O gás de xisto trata-se de uma das maiores inovações em energia neste século, em termos de impacto e escala. O gás que é 30% mais limpo que o carvão e produz cerca de 40% menos dióxido de carbono que uma usina termelétrica de carvão, é bem viável e vantajoso, pena que tem desvantagens como o impacto sobre o entorno, tanto de sua produção quanto do seu manejo, como se trata de bombardear camadas da crosta terrestre com água e outras substancias, aumenta o risco de prejudicar o subsolo, solo, lençóis hídricos e superficiais ao apresentarem defeitos ou erros no seu manejo. Esperamos que com a descoberta dessa inovação, países pobres possam desfrutar dessa riqueza que está em todo o planeta, já que com o gás em foco vai proporcionar recursos de energia viável e vantajosa a eles.

    ResponderExcluir
  6. Uma das maiores vantagens desse gás é uma energia mais limpa se comparada a energia proveniente do carvão.O gás recuperável nas rochas de xisto talvez supere várias vezes em quantidade a das reservas provadas de gás convencional no planeta, porém o gás de xisto ainda é um combustível fóssil e na sua extração são utilizados componentes químicos extremamente tóxicos que podem ir parar nos lençóis freáticos e contaminar a água.No entanto, tendo em vista a contínua diminuição das reservas petrolíferas, o xisto poderá se tornar, no futuro, uma reserva importantíssima de matérias primas e de energia.

    ResponderExcluir
  7. O gás xisto é uma fonte de energia alternativa porém já oferece vantagens pois em vista da energia gerada através do carvão o gás produz metade do dióxido de carbono.Porém no caso de acidentes o lençol freático pode ser contaminado pelos produtos químicos utilizados na extração.

    ResponderExcluir
  8. Podemos observar que apesar das grandes jazidas de minério de xisto, exige-se um amplo estudo geológico para com a viabilidade de extração do mesmo. Ainda se faz necessário um amplo estudo tecnológico e o desenvolvimento de tecnologia para um melhor aproveitamento do xisto, que é uma importante fonte de energia.
    Os principais impactos ambientais ocasionados pela exploração de xisto são: poluição hídrica, emissão de gases poluentes na atmosfera durante o processamento, risco de combustão espontânea dos resíduos. O gás de cisto é uma fonte de energia muito boa, sem contar que o Brasil poderá se sair bem nessa história pois é um dos países que possui grandes reservas desse gás.

    ResponderExcluir
  9. No nosso pais o gás de xisto é pouco explorado, isso por que ele pode nos trazer vários danos, pelos seus produtos químicos utilizados para sua extração. Sua função é produzir eletricidade, pois esse gás comparado aos outros não produz tanto poluição ao meio ambiente , pelo fato de liberar apenas a metade de dióxido de carbono e ser 30% mais limpo que o carvão e petróleo , ele Possui desvantagens e vantagens depende de como extraí-lo .Por isso acho que o Brasil ao invés de menosprezá-lo tanto deveria explora -lo um pouco mais.

    ResponderExcluir
  10. Gás de xisto, mais uma ótima forma, para geração de energia. O Brasil hoje, está bem atrasado nesse processo de extração dessa fonte de energia limpa, devido às dificuldades de extraí-lo de dentro das camadas de rocha sedimentar de xisto.
    Mas graças a exploração tecnológica, a produção esta aumentando, tanto que já pode ser usado pra produzir eletricidade e reduzir a dependência do carvão.
    Se os carros movido a eletricidade e a gás natural evoluir, o gás de xisto também pode ajudar a reduzir essa dependência do petróleo.

    ResponderExcluir
  11. O mercado de gás natural está passando por uma grande transformação à medida que a exploração de gás de xisto torna-se cada vez mais técnica e economicamente viáveis.
    Em relação ao Brasil, o estudo afirma que o país tem potencial para ser o segundo maior produtor depois dos Estados Unidos, mas ressalta que tem havido pouco interesse e falta de investimento na exploração do recurso. Segundo a Agência Internacional de Energia, o Brasil aparece em décimo lugar com reservas estimadas de 6,3 trilhões de metros cúbicos. Nas três primeiras posições estão a China (36,1 trilhões de metros cúbicos), Estados Unidos (24,09 trilhões de metros cúbicos) e Argentina (21 trilhões de metros cúbicos).
    Então se o Brasil investisse mais na produção poderia ser uma potencia mundia na produção de Xisto.

    ResponderExcluir
  12. A energia é essencial para a civilização tanto que a luta pela sobrevivência é uma competição visando a obter energia.
    A disponibilidade de excedentes de energia é decisiva para melhorar o bem-estar da espécie, é por meio da energia que se constrói toda a cultura humana.
    Pelas leis da termodinâmica a energia não pode ser criada ou destruída, apenas transformada. No processo de transformação ela perde a capacidade de realizar um trabalho útil e muda de disponível para indisponível.
    Para um melhor aproveitamento da energia é preciso racionalidade, bom-senso e respeito ao ambiente. Gabriel Hindersmann M3A

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Como é citado o principal benefício dessa forma de energia é a pequena produção de dióxido de carbono em relação as termelétricas a carvão.Isso que estamos precisando atualmente formas de energia que tenha benefícios ambientais,pois nosso planeta já esta muito debilitado ambientalmente e se não tomarmos providências poderão ocorrer sérias consequências.
    O Brasil tem reservas volumosas outro ponto benéfico,mas extrai uma pequena escala dessas reservas.
    O ponto negativo para nós seria na extração do xisto pois utiliza-se componentes químicos e se atingir os lençóis freáticos poderá contaminar a água.Isso seria uma catástrofe pois os lençóis freáticos é uma das principais riquezas que possuímos.
    Mas mesmo assim devíamos investir mais na extração do xisto.Pois ajudaria muito tanto o Brasil quanto o planeta.Mas tomando todos os cuidados necessários para realizar esse procedimento.

    Weliton Rohr

    ResponderExcluir
  15. O gás de xisto é abundante em territórios antes considerados pobres em hidrocarbonos ou dependentes de importações:
    China, Estados Unidos e Argentina encabeçam a lista, mas outras grandes reservas estão na África do Sul,
    Austrália, Polônia, França, Suécia, Índia, Chile, Paraguai ou Paquistão.
    os altos preços do petróleo, com os de referência a mais de US$ 100 o barril de 159 litros, animam as operadores a buscar, produzir e comercializar o shale.
    Mas para que ocorra a exploração de xisto são necessários grandes investimentos econômicos, além de ser extremamente poluente e de pouco retorno.
    Os principais impactos ambientais ocasionados pela exploração de xisto são: poluição hídrica,
    emissão de gases poluentes na atmosfera durante o processamento e risco de combustão espontânea dos resíduos.
    Edson Carlos Da Cruz MIII

    ResponderExcluir